Deus é amor, por isso somos felizes.

Jesus veio para mudar o coração dos homens através do poder do Espírito Santo.

A Bíblia descreve Deus como santo, justo e soberano. Esses atributos nos dizem o seguinte sobre Deus: (1) Deus é capaz de impedir o mal e (2) Deus deseja livrar o universo do mal.

A Bíblia descreve Deus como santo, justo e soberano. Esses atributos nos dizem o seguinte sobre Deus: (1) Deus é capaz de impedir o mal e (2) Deus deseja livrar o universo do mal.

Talvez uma maneira prática de olhar para essa pergunta seja observar estes 3 pontos de como Deus governa o mundo:

1ºDeus pode mudar a personalidade de todos para que eles não possam pecar:

Isso também significaria que não teríamos livre-arbítrio. Não poderíamos escolher o certo ou o errado, porque seríamos “programados” para fazer apenas o certo.

Se Deus tivesse escolhido fazer isso, não haveria relacionamentos significativos entre Ele e Sua criação.

Em vez disso, Deus tornou Adão e Eva inocentes, mas com a capacidade de escolher o bem ou o mal. Por causa disso, eles poderiam responder ao Seu amor e confiar nEle ou optar por desobedecer.

Eles escolheram desobedecer. Porque vivemos em um mundo real onde podemos escolher nossas ações, mas não suas consequências, seu pecado afetou aqueles que vieram depois (nós).

Da mesma forma, nossas decisões de pecar têm um impacto sobre nós e os que estão à nossa volta e aqueles que virão depois de nós.

2º Deus poderia compensar as ações más das pessoas através de intervenção sobrenatural 100% do tempo:

Sim, Deus poderia impedir toda a dor pelo qual milhares de pessoas passam todos os dias, no entanto, embora essa solução pareça atraente, ela perderá sua atratividade assim que a intervenção de Deus infringir algo que queremos fazer.

Queremos que Deus impeça ações terrivelmente más, mas estamos dispostos a deixar passar as ações que consideramos inofensivas, sem perceber que essas ações são as que geralmente se tornam as que tememos.

3º Outra opção seria Deus julgar e remover aqueles que escolherem cometer atos maus:

O problema com essa possibilidade é que não sobraria ninguém, pois Deus teria que remover todos nós.

Todos nós pecamos e cometemos atos maus, afinal, quem nunca pecou que atire a primeira pedra não é mesmo?

Enquanto algumas pessoas são mais más que outras, onde Deus traçaria os limites? Em última análise, todo o mal causa danos aos outros. Em vez dessas opções, Deus escolheu criar um mundo “real” no qual escolhas reais têm consequências reais.

Neste mundo real, nossas ações afetam os outros.

Em resumo, vivemos em um mundo real onde nossas ações boas e más têm consequências diretas e indiretas sobre nós e as pessoas ao nosso redor. O desejo de Deus é que, obedeçamos a Ele para que tudo esteja bem conosco.

Em vez disso, o que acontece é que escolhemos o nosso próprio caminho e depois culpamos a Deus por não fazer nada a respeito. Tal é o coração do homem pecador. Mas Jesus veio para mudar o coração dos homens através do poder do Espírito Santo, e Ele faz isso para aqueles que se afastam do mal e invocam a Ele para salvá-los de seus pecados e suas consequências (2 Coríntios 5:17). Deus evita e restringe alguns atos do mal.

Em vez de culpar a Deus e questionar a Deus por que Ele não impede todo o mal, deveríamos crer que Ele é parte da cura para o mal e suas consequências.