Como ser imitador de Cristo?

Como as pessoas lhe vêem? Servo, seguidor ou discípulo de Jesus?

Nesse momento, você pode estar tendo problemas para ser uma pessoa que professa conhecer e acreditar em Cristo.

Assim como um soldado que deve estar em conformidade com os ideais de seu superior, você deve ser “transformado à semelhança do Mestre”. Sendo como Jesus.

No entanto, é aí que entra o problema. Por vezes, não importa o quão rigidamente sejamos pressionados a conformidade, nenhuma quantidade de encorajamento e persuasão contínuos poderiam levá-lo a alcançar seu objetivo final.

Você já tentou de tudo, mas não importa o quanto se convença, você já decidiu – é apenas absurdo. Você acaba fazendo nada porque acha que ao menos tentar, já é impossível. E em algum momento, você até mesmo para de buscar.

Se você compartilha os mesmos sentimentos e se identificou, bem, provavelmente, você está tendo ansiedade no desempenho.

Ansiedade de um cristão

Esse sentimento angustiante de medo, preocupação e apreensão pode tirar a verdadeira alegria de sua busca – o que destoa do caráter de Cristo.

Biblicamente falando, todos os humanos são criados “à imagem de Deus”, no entanto isso não precisa se tratar necessariamente da aparência física.

Com isso, é normal dizer que ser piedoso não é um grande problema, porque somos criados como tais.

O medo e a ansiedade crônicos trazidos pelas noções erradas não ajudarão você a “atingir a marca”.

Paulo, um dos primeiros apóstolos e um dos maiores disseminadores da palavra, acredite ou não, também teve sua parcela de ansiedade no desempenho. Ele admitiu abertamente que tinha um “espinho na carne”, ao qual ele descreveu como uma luta ou um medo avassalador.

Um paradigma que lhe faz sentir, que não importasse o que ele fizesse, ele simplesmente não se sentia o suficiente e nunca seria como Jesus.

Mas ele estava determinado a superar esse obstáculo que desafia a fé ao escolher Cristo. Ele entendeu e experimentou essas dificuldades relacionadas ao medo e à ansiedade em seguir a Cristo.

Ele naufragou algumas vezes, foi preso causa de suas crenças, e viveu experiências que lhe serviram para crescer em espírito e lapidar sua fé.

O que fazer com essa ansiedade?

Por fim, mesmo depois de uma série de bloqueios de ansiedade no desempenho, ele conseguiu proferir esta proverbial citação cristã: “Imite-me como imito a Cristo”.

É normal que um cristão se sinta inferior porque, em comparação com a imagem de Jesus, somos apenas “uma lembrança fugaz”.

No entanto, somos incentivados, não importa quão difícil, a viver como Cristo. Continuar Lutando para alcançar essa marca. É tediosamente árduo, no entanto, como Paulo, deixe-me dizer esta última coisa.

“Não estou dizendo essas coisas porque já alcancei a perfeição, mas pela graça de Deus continuo pressionando em direção à meta de ganhar o prêmio.”