11 minutos no céu: uma mulher morre e volta para contar sua história

Eles chamaram um código e entraram correndo. Eu estava acima do meu corpo. Eu podia vê-los fazendo compressões no peito. Eu podia ver todas as enfermeiras ao redor. Podia sentir o cheiro das flores mais lindas que já cheirei e então ouvi música, quando abri meu olhos eu sabia onde estava, eu sabia que estava no paraíso. Em 2019, Charlotte Holmes estava fazendo um checkup de rotina com seu cardiologista quando sua pressão arterial atingiu 234 por 134.

11 MINUTOS NO CÉU: UMA MULHER MORRE E VOLTA PARA CONTAR SUA HISTÓRIA

Meu cardiologista disse a seguinte frase “você não vai para casa vamos colocá-la no hospital, temos que baixar a sua pressão, você pode está tendo outro derrame ou um ataque cardíaco”, eles me colocaram em um quarto e começaram uma intravenosa.

O marido de Charlotte, Danny, ficou com ela enquanto a equipe do hospital cuidava dela.

Charlotte começou a descrever coisas para danny, ela começou a falar sobre as flores, bem, olhei em volta e sabia que não havia flores naquele quarto, quando isso estava acontecendo foi que eu soube que ela não estava neste mundo.

O coração de Charlotte parou, pelos próximos 11 minutos ela estava clinicamente morta.

Eu estava acima do meu corpo. Eu podia ver Danny parado no canto que ele havia recuado. Eu pude ver todas as enfermeiras ao redor, então abri meu olhos, eu olhei em volta para a beleza e eu pude ver as árvores, eu pude ver a grama e tudo estava balançando com música porque tudo no céu adora a Deus.

Eu não posso transmitir a você como era o céu porque é tão acima do que podemos imaginar, um milhão de vezes. Charlotte diz que foi levada ao céu por anjos. Não há presença do medo, é como pura alegria quando os anjos assumem o controle. Não há medo quando você está indo para casa, é pura alegria.

Ela diz que então começou a reconhecer membros falecidos da família. Eu vi minha mãe, eu vi meu pai, eu vi minha irmã, eu vi membros da família parados na minha frente. Eu vi santos da antiguidade, eles não pareciam velhos, nem pareciam doentes, nenhum deles usava óculos, eles pareciam estar dentro de seus 30 anos, mas ainda assim diz nas escrituras que seremos conhecidos como éramos conhecidos. Eu os conhecia em seus novos corpos. Eles pareciam maravilhosos. O que Charlotte viu depois disso, por mais chocante que fosse?

Ela visualizou uma luz tão brilhante que não poderia olhar para ela, quero dizer que era muito brilhante e ela sabia que era o pai celestial, via também uma criança, e aquela criança que não conseguia entender a causar dela estar ali, e se perguntou “quem é esta” e ouvi meu pai celestial dizer para mim “é o seu filho”.

Eu perdi aquela criança, eu estava grávida de cinco meses e meio, lembro-me deles segurando o bebê e dizendo Charlotte, é um menino, então ele se foi e quando eu vi essa criança eu disse “Deus, como que é possível” e ele diz que ele continua a crescer no céu, mas não há tempo, é a eternidade, então 48 anos e aqui, meu filho, nosso filho é um bebê.

Então Deus escolheu mostrar a ela mais uma coisa. Deus me levou para o inferno e eu olhei para baixo e  cheirava a carne podre, escutava muitos gritos e depois de ver a beleza do céu, o contraste com ver o inferno é quase insuportável, e ele diz, “eu mostro isso para te dizer que se alguns deles não mudam de jeito algum, é onde eles devem residir”.

Eu ouvi meu Pai dizer que você tem tempo para voltar e compartilhar tão rápido quanto ela que foi para o céu.

O espírito de Charlotte voltou. E ela diz, “eu me senti sendo puxado para dentro do meu corpo”. “Eu senti a dor onde eu não sentia dor”. “Eu sentia a tristeza Danny”.

Eles entraram correndo e seus olhos piscaram, e eles disseram então que iriam me levar para casa.

Após duas semanas, Charlotte se recuperou totalmente e recebeu alta do hospital. Desde então ela tem compartilhado sua história, em aparição pública e com todos que ela entra em contato. Ela diz que as pessoas precisam ter esperança de que queiram saber se realmente há algo lá fora que eles querem, e que está tudo bem.

“Tive o privilégio de trazer as pessoas a Cristo, pois ele me pediu para fazer toda a autoridade que ele, se ele tivesse nos dado em nome de Jesus Cristo, não por causa de quem somos. Deus nos promete, ele disse que se não fosse assim eu não teria contado a você, mas ele preparar um lugar no céu para nós e é mais do que você pode imaginar. Eu posso olhar bem nos seus olhos e dizer a você com toda a certeza que o paraíso é real!”, diz Charlotte.